sexta-feira , outubro 20 2017
Home / Câncer / Aprovado novo tratamento para câncer de pele

Aprovado novo tratamento para câncer de pele

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acaba de aprovar no Brasil o Keytruda(pembrolizumabe), a imunoterapia anti PD-1 fabricada pela farmacêutica MSD, para tratamento do melanoma avançado, o mais agressivo e letal tipo de câncer de pele. O medicamento é indicado para qualquer fase do tratamento, na dose de 2mg/kg, administrado a cada três semanas, no tempo de 30 minutos.

“Estamos muito orgulhosos de trazer para o mercado brasileiro um medicamento inovador no tratamento do melanoma metastático, com a certeza de que vamos mudar a maneira como o câncer é percebido atualmente, de uma sentença de morte para uma doença manejável, oferecendo aos pacientes a possibilidade de mais tempo de vida e maior bem-estar físico e emocional durante o tratamento. Keytruda é o resultado de muita dedicação da MSD para amenizar o peso do câncer”, afirma Cristiano Gomes, diretor de Oncologia da MSD no Brasil.

O melanoma cutâneo, mais perigoso dos tumores de pele, tem a capacidade de invadir qualquer órgão e espalhar pelo corpo. Pequenas manchas avermelhadas ou acastanhadas de crescimento lento. Pintas que mudam de cor ou de formato. Feridas que não cicatrizam. Esses sintomas, que à primeira vista parecem ter pouca gravidade, são, na verdade, os principais sinais do surgimento da doença na pele.

Em 90% dos casos, a doença é provocada, basicamente, pela exposição excessiva ao sol.

 

Comentários

Sobre Jaqueline Falcão

mm
Jornalista por paixão e formação, Jaqueline Falcão escreve sobre saúde desde 2001. Começou no Diário Popular como repórter, foi editora de Saúde do Diário de São Paulo. Depois, foi transferida para o jornal O Globo, sucursal São Paulo, onde permaneceu por 7 anos. A ideia de criar o "Página da Saúde", voltado para falar de tratamentos, descobertas da medicina, qualidade de vida, foi a vontade de ter mais liberdade para falar saúde em seus diversos aspectos para pessoas que cada vez mais buscam informação de credibilidade. E para isso está sempre em coletivas, seminários e congressos médicos para trazer as novidades. Na Europa e Estados Unidos, participou de coberturas em congressos e seminários sobre os temas tabagismo, câncer, esclerose múltipla, pesquisa clínica, saúde masculina, saúde feminina, depressão, vacinas e patentes. Entre os cursos e workshops na área de jornalismo de saúde, destaque para ressuscitação cardiopulmonar, infarto, câncer de pele, tabagismo, pesquisas clínicas no Brasil e no Mundo, lançamentos de novas classes de medicamentos, realizados em instituições como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Universidade de São Paulo, Unicamp, Tufts University (Boston - EUA), UC San Diego, Inter American Press Association (IAPA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja Também

Calculadora virtual e debate do Oncoguia em SP alertam para combate ao tabagismo

  O tabagismo está na origem de 90% de todos os casos de câncer de …

One comment