segunda-feira , outubro 23 2017
Home / Câncer / Médico alerta sobre o risco de exposição solar nos homens

Médico alerta sobre o risco de exposição solar nos homens

alexandreaudiaudimedico

 

No clima do Novembro Azul não podemos deixar de lado que o câncer de pele é o tipo mais incidente nos homens, mais ainda que o de próstata. Estima-se que corresponda a 30% dos tumores malignos registrados no Brasil. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa de novos casos para 2016 é de 5.760 pacientes, sendo 3 mil homens e 2.670 mulheres.

“As causas para o carcinoma basocelular (CBC), o mais frequente, e o carcinoma espino-celular (CEC) estão ligadas à exposição excessiva e desprotegida ao sol. Quanto ao melanoma, o tipo mais grave e eventualmente fatal de câncer de pele, não sabemos exatamente todos os fatores que exercem influência em seu surgimento, visto que são registrados casos da doença em regiões do corpo onde não há exposição solar, como plantas dos pés, nádegas e órgãos genitais”, explica o cirurgião plástico Alexandre Audi.

O câncer de pele, depois de diagnosticado, tem na remoção cirúrgica o procedimento mais indicado. Para os tipos CBC e CEC, a cirurgia significa a cura. Em muitos casos são necessárias técnicas da cirurgia plástica para a reconstrução do defeito resultante. Já no caso do melanoma, é preciso que o tecido retirado seja analisado para verificar necessidade de tratamentos complementares.

Protetor solar

 “Ao sair de casa é indispensável o uso do protetor solar nas áreas expostas, mesmo em dias frios e nublados, reaplicando o produto a cada quatro horas em dias comuns e a cada uma hora em caso de sudorese excessiva ou em praias e piscinas. Também é importante que se utilize proteção nos lábios”, aconselha o cirurgião plástico

Comentários

Sobre Jaqueline Falcão

mm
Jornalista por paixão e formação, Jaqueline Falcão escreve sobre saúde desde 2001. Começou no Diário Popular como repórter, foi editora de Saúde do Diário de São Paulo. Depois, foi transferida para o jornal O Globo, sucursal São Paulo, onde permaneceu por 7 anos. A ideia de criar o "Página da Saúde", voltado para falar de tratamentos, descobertas da medicina, qualidade de vida, foi a vontade de ter mais liberdade para falar saúde em seus diversos aspectos para pessoas que cada vez mais buscam informação de credibilidade. E para isso está sempre em coletivas, seminários e congressos médicos para trazer as novidades. Na Europa e Estados Unidos, participou de coberturas em congressos e seminários sobre os temas tabagismo, câncer, esclerose múltipla, pesquisa clínica, saúde masculina, saúde feminina, depressão, vacinas e patentes. Entre os cursos e workshops na área de jornalismo de saúde, destaque para ressuscitação cardiopulmonar, infarto, câncer de pele, tabagismo, pesquisas clínicas no Brasil e no Mundo, lançamentos de novas classes de medicamentos, realizados em instituições como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Universidade de São Paulo, Unicamp, Tufts University (Boston - EUA), UC San Diego, Inter American Press Association (IAPA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja Também

Calculadora virtual e debate do Oncoguia em SP alertam para combate ao tabagismo

  O tabagismo está na origem de 90% de todos os casos de câncer de …