sábado , julho 22 2017
Home / Lifestyle / Artigo: Atleta sem orientação sofre mais com dor no quadril

Artigo: Atleta sem orientação sofre mais com dor no quadril

artigogiancarlo

* Giancarlo Polesello

O quadril e a coxa dos atletas são afetados pelo aumento generalizado da atividade física, tanto recreacional como competitiva. O quadril, sendo articulação profunda e cercada de grandes músculos, tecidos, nervos e vasos, tem grande quantidade de estruturas expostas à lesão. A coxa, local de origem e inserção dos maiores músculos do corpo humano, idem.

A anatomia complexa do quadril pode tornar o diagnóstico difícil ou confuso. Lesões no quadril são menos frequentes que em outros segmentos dos membros inferiores. Entretanto, quando ocorrem implicam em longos períodos de afastamento, pois podem necessitar de cirurgia e reabilitação intensiva, antes do retorno ao esporte.

Atletas de alto impacto como jogadores de futebol, praticantes de corrida, artes marciais e mesmo os que frequentam academia ou fazem atividade física somente nos fins de semana devem evitar problemas como lesões de cartilagem que podem ser o estopim da artrose, ou seja, o desgaste dessa cartilagem. Avaliar a situação do quadril antes da prática de exercícios físicos é essencial. Não ficam fora dessa lista praticantes de tênis, golfe, hockey, beisebol entre outros, como o beach tenis, que está se popularizando com bastante rapidez.

A avaliação correta da biomecânica corporal é importante e uma vez constatada podem ser ensinados exercícios que vão de diferentes graus de dificuldade, simples ou complexos.  A correta avaliação da rotação interna da articulação é importante principalmente para os praticantes de “leg press” ou agachamento na academia de ginástica.

Falhas nessa constatação em um praticante que tenha porventura algum bloqueio da rotação interna do quadril pode levar a graves lesões da articulação, dentre elas a lesão no lábio acetabular, causada pela síndrome do impacto femoro-acetabular, frouxidão ligamentar, displasia ou outras afecções. Forças axiais e torcionais na prática esportiva também podem levar a essas lesões. Fraqueza da musculatura adutora do quadril foi observada em atletas com lesão labial. Lesões ligamentares do joelho e na coluna vertebral foram observadas em esportistas que têm deficiência na rotação interna do quadril.

O sintoma mais comum de uma lesão articular é dor que não melhora com tratamento medicamentoso, fisioterapia ou outras técnicas. Diante de um quadro desses, pode ser indicada a artroscopia para correção das lesões dentro da articulação, que deve ser feita, uma vez diagnosticadas, o mais rapidamente possível, já que geralmente esse tipo de lesão é progressiva levando a artrose da articulação do quadril e necessidade de outras intervenções por vezes mais agressivas, como uma prótese articular.

Fratura por estresse é outro problema que pode acontecer nos corredores de longa distância e triatletas. É causada por carga repetitiva no fêmur, mais frequentemente nas mulheres. Pacientes com a tríade da mulher atleta (amenorréia, desordens alimentares e osteoporose) são mais suscetíveis. As fraturas por estresse ocorrem no quadril entre 1,25 a 18% dos casos e geralmente decorrem de treinamento e preparação inadequados.

A lesão do ligamento redondo é a terceira indicação mais comum para artroscopia do quadril em atletas. As causas traumáticas são as mais comuns. Geralmente estão associadas a trauma de alta energia (luxações ou instabilidades do quadril) e foram relatadas em jogadores de hóquei no gelo, futebol americano e praticantes de esqui. O diagnóstico é difícil e muitas vezes, a lesão só é identificada na cirurgia. O tratamento cirúrgico artroscópico está relacionado com ótimos resultados. Nas lesões da cartilagem, a maioria dos casos está associada a deformidades pré-existentes, como o impacto-femoro acetabular.

A maioria dos problemas pode ser minimizada se antes da prática de exercícios físicos, o atleta profissional ou de fim de semana souber mais sobre a biomecânica e a cinética de seu corpo, e se ele pode sofrer as sobrecargas mecânicas que o esporte escolhido pode provocar. Para isso há uma infinidade de profissionais gabaritados para exame físico e orientação adequada.

*Giancarlo Polesello, médico ortopedista, especialista em cirurgia do quadril. Professor e chefe do Grupo de Afecções do Quadril da Santa Casa de São Paulo e médico do Hospital Sírio-Libanês.

 

Comentários

Sobre Jaqueline Falcão

mm
Jornalista por paixão e formação, Jaqueline Falcão escreve sobre saúde desde 2001. Começou no Diário Popular como repórter, foi editora de Saúde do Diário de São Paulo. Depois, foi transferida para o jornal O Globo, sucursal São Paulo, onde permaneceu por 7 anos. A ideia de criar o "Página da Saúde", voltado para falar de tratamentos, descobertas da medicina, qualidade de vida, foi a vontade de ter mais liberdade para falar saúde em seus diversos aspectos para pessoas que cada vez mais buscam informação de credibilidade. E para isso está sempre em coletivas, seminários e congressos médicos para trazer as novidades. Na Europa e Estados Unidos, participou de coberturas em congressos e seminários sobre os temas tabagismo, câncer, esclerose múltipla, pesquisa clínica, saúde masculina, saúde feminina, depressão, vacinas e patentes. Entre os cursos e workshops na área de jornalismo de saúde, destaque para ressuscitação cardiopulmonar, infarto, câncer de pele, tabagismo, pesquisas clínicas no Brasil e no Mundo, lançamentos de novas classes de medicamentos, realizados em instituições como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Universidade de São Paulo, Unicamp, Tufts University (Boston - EUA), UC San Diego, Inter American Press Association (IAPA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja Também

mamografiapristina

Novo aparelho para mamografia permite que mulheres controlem o exame

Muitas mulheres deixam para depois a realização da mamografia pelo medo da dor e do …