terça-feira , julho 25 2017
Home / Lifestyle / Chá verde e pimenta na dieta funcionam mesmo?

Chá verde e pimenta na dieta funcionam mesmo?

Dra Juliana Gabriel

 

Substâncias como pimenta cayena e chá verde em cápsulas são ditas como coadjuvantes para acelerar o metabolismo e prescritos com frequência para pessoas que querem emagrecer.  A médica Juliana Gabriel, endocrinologista e professora do curso de Medicina da Faculdade São Leopoldo Mandic, explica que existem vários alimentos considerados “termogênicos naturais”.

“É dito na mídia que essas substâncias são capazes de ‘acelerar o metabolismo’, porém o que ocorre é um aumento da disposição e da sensação de energia e uma discreta melhora na performance durante o exercício”, afirma a médica.

As pimentas são um exemplo de substâncias termogênicas. Outros exemplos são a canela, o gengibre, a cúrcuma, o café e o chá verde.

“Incluir estes alimentos dentro da dieta rotineira, em porções adequadas, é saudável, pode ser de grande ajuda dentro de um programa de perda de peso e é relativamente seguro”, orienta Juliana.

No entanto, no momento em que se faz uma versão concentrada do princípio ativo de qualquer alimento dentro de uma cápsula, a quantidade deste princípio ativo é muito maior do que aquela encontrada no alimento natural.

Segundo a endocrinologista, para comprovar a eficácia e garantir a segurança para as pessoas, estas formulações deveriam ser testadas em ensaios clínicos controlados, como ocorre com qualquer medicamento ou fármaco, pois assim como qualquer princípio ativo, estes podem ter efeitos colaterais (em especial para o coração, fígado e sistema nervoso).

Existem alguns estudos na literatura testando segurança e eficácia com a pimenta e o chá verde (inclusive em formulações concentradas), mas a maioria dos estudos é de curta duração e não testa a eficácia a longo prazo.  Portanto, meu conselho é: converse com seu nutricionista para tentar introduzir alimentos termogênicos na dieta. Jamais faça uso de cápsulas, fórmulas ou suplementos sem orientação médica e nutricional. E isso vale para qualquer pessoa, não só para os que têm hipotireoidismo.

Comentários

Sobre Jaqueline Falcão

mm
Jornalista por paixão e formação, Jaqueline Falcão escreve sobre saúde desde 2001. Começou no Diário Popular como repórter, foi editora de Saúde do Diário de São Paulo. Depois, foi transferida para o jornal O Globo, sucursal São Paulo, onde permaneceu por 7 anos. A ideia de criar o "Página da Saúde", voltado para falar de tratamentos, descobertas da medicina, qualidade de vida, foi a vontade de ter mais liberdade para falar saúde em seus diversos aspectos para pessoas que cada vez mais buscam informação de credibilidade. E para isso está sempre em coletivas, seminários e congressos médicos para trazer as novidades. Na Europa e Estados Unidos, participou de coberturas em congressos e seminários sobre os temas tabagismo, câncer, esclerose múltipla, pesquisa clínica, saúde masculina, saúde feminina, depressão, vacinas e patentes. Entre os cursos e workshops na área de jornalismo de saúde, destaque para ressuscitação cardiopulmonar, infarto, câncer de pele, tabagismo, pesquisas clínicas no Brasil e no Mundo, lançamentos de novas classes de medicamentos, realizados em instituições como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Universidade de São Paulo, Unicamp, Tufts University (Boston - EUA), UC San Diego, Inter American Press Association (IAPA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja Também

mamografiapristina

Novo aparelho para mamografia permite que mulheres controlem o exame

Muitas mulheres deixam para depois a realização da mamografia pelo medo da dor e do …