sexta-feira , outubro 20 2017
Home / Lifestyle / Marido de Ivete Sangalo dá dicas para comer salada no inverno

Marido de Ivete Sangalo dá dicas para comer salada no inverno

Nos dias mais frios, alguns hábitos de alimentação mudam, não é verdade?  E a salada perde espaço para os pratos quentes.

Manter uma dieta saudável com folhas e verduras acaba se tornando um sacrifício nos dias frios já que o corpo pede opções quentes para nos manter aquecido.

O nutricionista esportivo Daniel Cady, marido da cantora Ivete Sangalo, alerta que são nesses momentos que acabamos burlando a dieta e adquirindo os indesejáveis quilinhos a mais.

“Todo alimento tem o potencial de causar um efeito térmico no nosso corpo, basta fazermos as escolhas certas e nos adequar as condições impostas pela natureza para mesmo assim alcançar o bem-estar e a saúde plena”, explica o especialista.

Como as folhas e legumes cumprem papel importante em toda dieta por possuírem alto teor de fibras, além de auxiliar na digestão e no melhor funcionamento do intestino promovendo também a sensação de saciedade, uma alternativa é optar por vegetais cozidos.

“Brócolis, couve-flor, cenoura, vagem e milho são alguns exemplos que, se cozidos a vapor, mantêm seus benefícios. Abobrinha e berinjela também caem muito bem quando grelhadas ou cozidas”, indica Daniel Cady.

Outras opções que são ricas em proteínas e fibras e que podem entrar na dieta durante o inverno são o grão-de-bico, o feijão branco e a lentilha.

As raízes batata doce e a mandioquinha também podem ser inseridas no cardápio sem culpa já que são carboidratos aliados do nosso metabolismo.

“Nada impede também de você fazer um prato com um mix de folhas verdes e legumes para equilibrar um pouco a temperatura do organismo acompanhado de uma proteína saborosa. O mais importante é não excluir nenhum grupo de alimento durante as principais refeições”, finaliza.

Comentários

Sobre Jaqueline Falcão

mm
Jornalista por paixão e formação, Jaqueline Falcão escreve sobre saúde desde 2001. Começou no Diário Popular como repórter, foi editora de Saúde do Diário de São Paulo. Depois, foi transferida para o jornal O Globo, sucursal São Paulo, onde permaneceu por 7 anos. A ideia de criar o "Página da Saúde", voltado para falar de tratamentos, descobertas da medicina, qualidade de vida, foi a vontade de ter mais liberdade para falar saúde em seus diversos aspectos para pessoas que cada vez mais buscam informação de credibilidade. E para isso está sempre em coletivas, seminários e congressos médicos para trazer as novidades. Na Europa e Estados Unidos, participou de coberturas em congressos e seminários sobre os temas tabagismo, câncer, esclerose múltipla, pesquisa clínica, saúde masculina, saúde feminina, depressão, vacinas e patentes. Entre os cursos e workshops na área de jornalismo de saúde, destaque para ressuscitação cardiopulmonar, infarto, câncer de pele, tabagismo, pesquisas clínicas no Brasil e no Mundo, lançamentos de novas classes de medicamentos, realizados em instituições como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Universidade de São Paulo, Unicamp, Tufts University (Boston - EUA), UC San Diego, Inter American Press Association (IAPA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja Também

Já ouviu falar em avaliação 2D para corredores?

    Se você acha que o número de pessoas correndo a sua volta só …