sábado , julho 22 2017
Home / Lifestyle / Mitos e verdades sobre o anticoncepcional

Mitos e verdades sobre o anticoncepcional

drjader

O uso do anticoncepcional ainda traz muitas dúvidas e preocupa muitas mulheres, principalmente sobre as consequências para o organismo. O professor e ginecologista Jader Burtet, através da Medcel, empresa de educação na área de saúde, revela os mitos e verdades sobre a pílula. Veja a seguir:

ANTICONCEPCIONAL ENGORDA?

Isso é um mito. As mulheres podem ficar despreocupadas, pois
tomar anticoncepcional não altera o peso.

ANTICONCEPCIONAL DÁ TROMBOSE?

Somente em mulheres com risco prévio de trombose e que possuem
casos na família. Por isso, antes de receitar o medicamento, o
médico conversa bastante com a paciente e analisa o histórico
familiar, para indicar o melhor método contraceptivo.

FUMANTES PODEM UTILIZAR ANTICONCEPCIONAL?

Sim, até os 35 anos. Depois disso, recomendamos suspender a
medicação.

DIMINUI A LIBIDO?

Os anticoncepcionais que contém progestogênios com efeito
antiandrogênico podem diminuir sim a libido.

DEMORA PARA ENGRAVIDAR QUANDO INTERROMPE A UTILIZAÇÃO?

Mito. Como possui efeito mensal, assim que interrompido, a mulher
pode sim engravidar.

ANTIBIÓTICOS CORTAM O EFEITO?

Os antibióticos que foram reconhecidos por cortar o efeito são
rifampicina e rifabutina. Os outros, que são mais frequentemente
utilizados (amoxicilina, azitromicina, metronidazol, etc.), não
alteram.

QUEM TEM ENXAQUECA, PODE TOMAR ANTICONCEPCIONAL?

Pacientes que possuem enxaqueca com aura não devem utilizar a
medicação. Já as que possuem, mas sem aura, podem tomar até os 35
anos, interrompendo na sequência.

Comentários

Sobre Jaqueline Falcão

mm
Jornalista por paixão e formação, Jaqueline Falcão escreve sobre saúde desde 2001. Começou no Diário Popular como repórter, foi editora de Saúde do Diário de São Paulo. Depois, foi transferida para o jornal O Globo, sucursal São Paulo, onde permaneceu por 7 anos. A ideia de criar o "Página da Saúde", voltado para falar de tratamentos, descobertas da medicina, qualidade de vida, foi a vontade de ter mais liberdade para falar saúde em seus diversos aspectos para pessoas que cada vez mais buscam informação de credibilidade. E para isso está sempre em coletivas, seminários e congressos médicos para trazer as novidades. Na Europa e Estados Unidos, participou de coberturas em congressos e seminários sobre os temas tabagismo, câncer, esclerose múltipla, pesquisa clínica, saúde masculina, saúde feminina, depressão, vacinas e patentes. Entre os cursos e workshops na área de jornalismo de saúde, destaque para ressuscitação cardiopulmonar, infarto, câncer de pele, tabagismo, pesquisas clínicas no Brasil e no Mundo, lançamentos de novas classes de medicamentos, realizados em instituições como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Universidade de São Paulo, Unicamp, Tufts University (Boston - EUA), UC San Diego, Inter American Press Association (IAPA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja Também

mamografiapristina

Novo aparelho para mamografia permite que mulheres controlem o exame

Muitas mulheres deixam para depois a realização da mamografia pelo medo da dor e do …