sexta-feira , outubro 20 2017
Home / Lifestyle / Surdez no avião pode ser sinal de inflamação

Surdez no avião pode ser sinal de inflamação

“Na hora do pouso e da decolagem coloque um chiclete na boca”. Quem nunca ouviu essa recomendação – e até seguiu – quando vai viajar de avião? Você costuma ficar surdo durante um voo? Muitas pessoas ficam com o ouvido tampado por vários dias depois que viaja, e isso ocorre por causa da pressão nos ouvidos, em especial nas aterrissagens (mudança brusca de altitude) ou decolagens de voos comerciais.

A médica otorrinolaringologista e especialista em Otoneurologia, Chefe do Grupo de Pesquisa em Zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Jeanne Oiticica, explica que, apesar das cabines das aeronaves comerciais serem pressurizadas, isso pode ocorrer caso o passageiro esteja com alguma inflamação, congestão ou secreção nas vias aéreas superiores (nariz, seios paranasais, Tuba de Eustáquio, rinofaringe) decorrentes de gripes, resfriados, rinite, sinusite.

“O que acontece é que o ar presente dentro dos ouvidos, por conta da obstrução (inflamação, congestão ou secreção) não consegue ser trocado com o ar do ambiente. A pressão do ar retido e preso dentro do ouvido acaba gerando desconforto por distensão da membrana timpânica, em alguns casos pode haver dor associada”, comenta a médica.

Surdez transitória

Pode acontecer de a pessoa ficar sem ouvir direito por alguns dias, a chamada surdez transitória, que ocorre porque parte da secreção retida nas vias aéreas superiores migra para os ouvidos durante o voo, o que causa sensação de ouvido tampado, água no ouvido, pressão, dor.

Depois de alguns dias tudo se normaliza. Mas é bom consultar um especialista.

Veja algumas dicas da médica para que sofre com os ouvidos tampados durante os voos:

–    Usar sempre sprays nasais e gotas otológicas que podem ser prescritos para alívio do incômodo agudo na hora do voo, além, é claro, do tratamento profilático, mas que deve ser analisado caso a caso.

–    Mascar chicletes e deglutir, beber algum líquido. No caso dos bebês, dar mamadeira ou o peito pode ajudar a abrir a Tuba de Eustáquio (a orelha encontra-se conectada com o nariz por meio de um tubo fino e estreito, como um canudo, chamado Tuba de Eustáquio. Ela é importante, pois é a responsável por equalizar a pressão da orelha e drenar secreções que a própria orelha produz em direção ao fundo do nariz para serem eliminadas) e desentupir o ouvido.

 

Comentários

Sobre Jaqueline Falcão

mm
Jornalista por paixão e formação, Jaqueline Falcão escreve sobre saúde desde 2001. Começou no Diário Popular como repórter, foi editora de Saúde do Diário de São Paulo. Depois, foi transferida para o jornal O Globo, sucursal São Paulo, onde permaneceu por 7 anos. A ideia de criar o "Página da Saúde", voltado para falar de tratamentos, descobertas da medicina, qualidade de vida, foi a vontade de ter mais liberdade para falar saúde em seus diversos aspectos para pessoas que cada vez mais buscam informação de credibilidade. E para isso está sempre em coletivas, seminários e congressos médicos para trazer as novidades. Na Europa e Estados Unidos, participou de coberturas em congressos e seminários sobre os temas tabagismo, câncer, esclerose múltipla, pesquisa clínica, saúde masculina, saúde feminina, depressão, vacinas e patentes. Entre os cursos e workshops na área de jornalismo de saúde, destaque para ressuscitação cardiopulmonar, infarto, câncer de pele, tabagismo, pesquisas clínicas no Brasil e no Mundo, lançamentos de novas classes de medicamentos, realizados em instituições como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Universidade de São Paulo, Unicamp, Tufts University (Boston - EUA), UC San Diego, Inter American Press Association (IAPA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja Também

Já ouviu falar em avaliação 2D para corredores?

    Se você acha que o número de pessoas correndo a sua volta só …