terça-feira , julho 25 2017
Home / Tratamentos / Para combater epidemias, Claro anuncia parceria com o UNICEF

Para combater epidemias, Claro anuncia parceria com o UNICEF

 

A Claro, por intermédio do Instituto NET Claro Embratel, anunciou nesta semana uma parceria inédita com o Fundo das Nações Unidas para a Infância, UNICEF, no combate ao avanço da disseminação do vírus do zika pelo Brasil – transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.  O objetivo da parceria é contribuir na  pesquisa da evolução da doença em território nacional a partir de uma localidade. Neste primeiro momento, as cidades-base para o estudo serão Recife, Olinda, Campina Grande e Rio de Janeiro.

Esta é a primeira vez que uma companhia de telecomunicações contribui com o UNICEF no Brasil para evitar epidemias em uma escala maior. A partir de dados coletados pela equipe de Inteligência da Claro e seu sistema de informações geográficas e analytics, o UNICEF conseguirá observar o fluxo de deslocamento em cidades onde há surtos de doenças e impedir o avanço delas.

“Assim que o Instituto NET Claro Embratel solicitou o suporte da nossa área para trabalhar junto ao UNICEF no controle do surto do vírus, logo detectamos a oportunidade para a Claro com seus dados de localização. Isso representa uma quebra de paradigma na forma como usamos a tecnologia para trabalhar em prol à saúde pública”, avalia André Guerreiro, diretor de Inteligência de Mercado da Claro.

Emergência Global

No ano passado, o vírus do zika foi considerado emergência global pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e, recentemente, o Nordeste vêm sofrendo uma nova onda de surto da doença, o que já causa preocupação em pesquisadores. “Estamos buscando alternativas para entender a epidemia de zika no Brasil, prever novos surtos e conhecer melhor a situação das crianças e famílias afetadas na região. Por meio da parceria com o Instituto NET Claro Embratel, conseguiremos entender como as pessoas se movimentam nas cidades estudadas, conheceremos melhor as áreas infectadas e, assim, esperamos identificar possíveis novos focos da epidemia e estudar as melhores formas de combate”, explica Ana Cristina Matos, chefe da área de monitoramento e avaliação do UNICEF no Brasil.

 

Comentários

Sobre Jaqueline Falcão

mm
Jornalista por paixão e formação, Jaqueline Falcão escreve sobre saúde desde 2001. Começou no Diário Popular como repórter, foi editora de Saúde do Diário de São Paulo. Depois, foi transferida para o jornal O Globo, sucursal São Paulo, onde permaneceu por 7 anos. A ideia de criar o "Página da Saúde", voltado para falar de tratamentos, descobertas da medicina, qualidade de vida, foi a vontade de ter mais liberdade para falar saúde em seus diversos aspectos para pessoas que cada vez mais buscam informação de credibilidade. E para isso está sempre em coletivas, seminários e congressos médicos para trazer as novidades. Na Europa e Estados Unidos, participou de coberturas em congressos e seminários sobre os temas tabagismo, câncer, esclerose múltipla, pesquisa clínica, saúde masculina, saúde feminina, depressão, vacinas e patentes. Entre os cursos e workshops na área de jornalismo de saúde, destaque para ressuscitação cardiopulmonar, infarto, câncer de pele, tabagismo, pesquisas clínicas no Brasil e no Mundo, lançamentos de novas classes de medicamentos, realizados em instituições como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio-Libanês, Hospital das Clínicas, Universidade de São Paulo, Unicamp, Tufts University (Boston - EUA), UC San Diego, Inter American Press Association (IAPA) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Veja Também

artrite

Pesquisa revela que novo medicamento consegue eliminar sintomas da artrite reumatoide

Um novo medicamento, o upadacitinibe, em desenvolvimento pela AbbVie, tem apresentado bons resultados em pacientes …